Existem crianças sem água em todo o mundo. Conheça mais sobre os impactos dessa realidade a seguir.

De acordo com uma recente análise da Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), 1,42 bilhões de pessoas no mundo, vivem em áreas de alta vulnerabilidade hídrica.

Desse número, 450 milhões são crianças. Isso é, 1 a cada 5 crianças ao redor do mundo não possui água suficiente para atender às suas necessidades básicas diárias.

A análise foi encomendada pela Water Security for All (Segurança Hídrica para Todos – disponível somente em inglês), que identifica áreas onde a escassez física de água coexiste com um baixo nível de serviços necessários para seu uso. Os habitantes dessas áreas dependem de água superficial, pontos de água bruta ou pontos localizados a mais de 30 minutos de suas residências.

Os dados da análise também mostram que crianças em mais de 80 países vivem em áreas com vulnerabilidade hídrica alta ou extremamente alta.

A região da África Oriental e Meridional tem a maior proporção de crianças vivendo nessas áreas, com cerca de 58% das crianças enfrentando dificuldade de acesso à água para suas necessidades diárias. Logo após vem África Ocidental e Central (31%), Ásia Meridional (25%) e Oriente Médio (23%). 

Nos 37 países onde há áreas particularmente vulneráveis no que diz respeito à água a situação é gravíssima. Principalmente quando consideramos dois fatores:

  • O número absoluto de pessoas e a proporção de crianças afetadas pelo problema; e
  • As áreas que precisam de mobilização de recursos, apoio e ação urgente da comunidade internacional.

Entre esses países então: Afeganistão, Burkina Faso, Etiópia, Haiti, Iêmen, Níger, Nigéria, Papua Nova Guiné, Paquistão, Quênia, Sudão e Tanzânia.

O futuro da água

A demanda por água aumenta diariamente, enquanto os recursos têm diminuído mais e mais a cada dia. Isso devido ao rápido crescimento populacional, urbanização, mau uso e a má gestão da água. As mudanças climáticas e os fenômenos meteorológicos extremos contribuem reduzindo as quantidades disponíveis de água potável e intensificando o estresse hídrico. 

De acordo com um relatório do UNICEF de 2017, quase uma em cada quatro crianças em todo o mundo viverá em áreas com estresse hídrico extremamente alto até 2040.

Mesmo que o impacto da escassez de água possa ser sentido por todos, ninguém sofre mais do que as crianças mais vulneráveis.

Essas crianças e suas famílias vivem em comunidades vulneráveis, e pagam um preço dobrado: enfrentam altos níveis de escassez de água e têm o acesso à água especialmente suscetível a choques climáticos e fenômenos meteorológicos extremos.

Qual a realidade da água no Brasil? 

Atualmente, algumas regiões do país ainda não possuem acesso a serviços básicos de água, esgoto e higiene – aumentando o impacto da pandemia de Covid-19 no País. 

Dados do Programa Conjunto de Monitoramento da OMS e do UNICEF para Saneamento e Higiene (JMP) indicam que 15 milhões de brasileiros residentes em áreas urbanas não possuem acesso à água tratada. Em áreas rurais, 25 milhões desfrutam apenas de um nível básico desses serviços, e 2,3 milhões usam fontes de água não seguras para consumo humano e higiene pessoal e doméstica.

Outra análise do UNICEF, realizada a partir da Pnad 2015, constatou que no Brasil 14,3% das crianças e dos adolescentes não têm o direito à água garantido. Destes, 7,5% têm água em casa, mas não filtrada ou procedente de fonte segura, e 6,8% não contam com sistema de água dentro de suas casas, estando em privação extrema. As privações de água variam conforme a região, sendo predominantes no Norte, no Nordeste e na zona rural.

Segundo dados do Painel de Saneamento (2018), 46,9% da população brasileira não é atendida por rede de tratamento de esgoto. Em algumas regiões esses números são ainda piores: no norte do país, 89,5% da população não possui coleta de esgoto, enquanto 72% da população do nordeste passa pela mesma situação.

Quando a análise é voltada para água, os números, apesar de menores, são preocupantes. 16,4% da população brasileira não tem acesso à água. Novamente, nas regiões norte e nordeste a situação se repete de maneira mais intensa. 42,5% dos nortistas e 26,1% dos nordestinos vivenciam essa realidade.

Como a SDW pode ajudar essas crianças e famílias?

A SDW é uma startup que trabalha com projetos socioambientais focados em água e saneamento. A ideia da SDW é levar mais qualidade de vida para a população em vulnerabilidade socioambiental.

Acreditamos que a água é o veículo de mudança necessário para que bilhões de pessoas tenham dignidade. Por isso, entregamos tecnologias que promovem acesso à água e saneamento através de nossos projetos. O impacto resultante chega a diversos âmbitos, como educação, renda e saúde.

Com nossos projetos já beneficiamos mais de 470 famílias, em 6 estados do país. Além disso, já totalizamos 20 milhões de litros de água potável.

Há ainda um fator importantíssimo que não conseguimos calcular: a melhoria da qualidade de vida das pessoas que passam a ter acesso à água de qualidade e esgotamento básico e seguro.

Quer saber mais sobre nossos projetos?

Confira nossas redes sociais:

https://www.instagram.com/sdwforall/

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *